Três Irmãos

Três Irmãos é o nome do maior aproveitamento hidrelétrico do Rio Tietê, no estado de São Paulo, a última das usinas quando se desce o rio e que lança suas águas ao reservatório de Jupiá, no Rio Paraná, divisa dos estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Localiza-se no município de Pereira Barreto.

Pergunta-se: Quem são os três irmãos homenageados pelo nome dessa usina?

Penso que dificilmente irão encontrar essa informação, onde quer que seja. Talvez em algum antigo arquivo da CESP, que tenha sido preservado por seu valor histórico.

Vou lhes dizer aqui.

O nome pelo qual essa obra era referida, lá na época da construção de Jupiá, quando algumas equipes se deslocavam para estudos de topografia, batimetria, hidrologia e hidrometria era “Ilha Seca”, nome de uma ilha que fica não muito longe do local da barragem, subindo o rio.

Hoje o nome é Três Irmãos, designação escolhida pela CESP na década de 1.970.

Os três homenageados não morreram, como acontece com personalidades que dão nome a tantas outras obras importantes.

São realmente irmãos por parte de pai e de mãe.

Quando eu os conheci, eram muito barulhentos, por isso muitas vezes não deixavam dormir as pessoas que estivessem por perto. Hoje estão quietos. Já não é possível gravar a bulha que faziam. Outra coisa seria muito difícil hoje, ainda que não impossível: fotografá-los.

Estão lá os três, quietinhos, porém mais poderosos que antes.

São eles os responsáveis por boa parte da eletricidade que usamos em nossas casas. Desde a luz até o uso do computador, passando pela geladeira. E por qualquer coisa que use energia elétrica, em casa ou fora dela.

Os três moram hoje no fundo do lago de Jupiá.

Eu os conheci, na época das obras da Celusa, antecessora da CESP. Também estiveram comigo, na Celusa, o Hélio (já falecido, marido da Maria Lúcia e pai do Itacil, do Luciano e da Marluci, todos Martins de Carvalho), que era chefe de transportes e ainda o Euro (que nessa época era solteiro, ainda), almoxarife.

Vamos aos nomes de cada um dos três irmãos:

Salto Grande de Urubupungá; Saltinho de Urubupungá; Salto de Itapura.

Os dois primeiros no Rio Paraná. O terceiro, no Rio Tietê, já perto da foz.

Por que irmãos?

Porque são formados na mesma rocha e pelo mesmo degrau geológico, que atravessa os dois rios, na direção sudeste – noroeste.  Esse degrau também atravessa a ponta norte da hoje inundada Ilha Grande, que separa o Salto Grande do Saltinho.

Quando eu digo que os saltos são os responsáveis pela geração da eletricidade, entenda-se que estou me referindo ao desnível que eles criam, e é esse desnível que possibilita o aproveitamento hidrelétrico.

A Ilha Grande, inundada por Jupiá, era formada, a oeste, pelo canal principal do Rio Paraná, a leste pelo braço menor do Paraná originado no Saltinho e ao sul pelo Rio Tietê. Dessa forma o braço do Saltinho era afluente do Tietê e este, por sua vez, afluente do Paraná.

Era pelo braço do Saltinho que se fazia a travessia das embarcações que subiam ou desciam o Rio Paraná, ao chegarem a essa região, passando, portanto, pelo Tietê.

No salto, travessia terrestre. Transferência pela margem, carregando nas costas ou como se pudesse, toda a carga e também o barco, levando tudo por cento e tantos metros na horizontal e vencendo um desnível de 20 metros.  Eu fiz essa travessia.

A seguir, fotos dos 3 irmãos , do mapa com a Ilha Grande e das barragens envolvidas nesse complexo. E ainda, a imagem de satélite, atual.

 

Esboço da confluência do Tietê com o Rio Paraná, antes de 1.968

Microsoft Word - 396-1189-1-RV.doc

O paredão rochoso ou “degrau geológico” que dá origem aos três saltos:

Salto Grande, Saltinho e o de Itapura, os Três Irmãos, hoje submersos pelo mesmo lago.

Salto Grande de Urubupungá

Salto Grande de Urubupungá

Saltinho de Urubupungá

Salto de Itapura (Rio Tietê)

Salto de Itapura (Rio Tietê)

A seguir, imagens da Usina de Jupiá, “Eng. Sousa Dias”, que criou o lago onde repousam esses 3 saltos, os  “Três Irmãos”.

Barragem e Usina de Jupiá, “Eng. Sousa Dias”

 

Barragem e Usina de Jupiá, “Eng. Sousa Dias”

Fotos de Ilha Solteira, a usina que fica a montante de Jupiá, no Rio Paraná

Barragem e Usina de Ilha Solteira

Barragem e Usina de Ilha Solteira

E fotos da usina Três Irmãos, no município de Pereira Barreto e do Canal de Pereira Barreto, que liga os lagos de Ilha Solteira e Três Irmãos, possibilitando a transposição de embarcações do lago de Ilha Solteira para o lago de Jupiá, através das eclusas de Três Irmãos. 

Barragem e Usina Três Irmãos, no Rio Tietê

Barragem e usina de Três Irmãos, no Rio Tietê

Canal Pereira Barreto, entre os lagos de Ilha Solteira e Três Irmãos

Vista atual por Satélite, da região da Foz do Rio Tietê. 

Foz do Rio Tietê, desaguando no lago de Jupiá, Rio Paraná. Vista de Satélite.

Créditos: Fotos em preto e branco: Comissão Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo, órgão da Secretaria de Agricultura do Estado.

Fotos das barragens e canal: arquivo CESP, acervo histórico de Três Lagoas e UNESP – Campus de Ilha Solteira – Faculdade de Engenharia.

Imagem de satélite – Google Earth

Esboço da Foz do Tietê, antes do enchimento de Jupiá: de memória, do autor do post.

Para comentar, clique aqui.